Lipoaspiração

INFORMAÇÕES SOBRE LIPOASPIRAÇÃO E OU LIPOESCULTURA

Lipoaspiração é uma técnica operatória, destinada à remoção de gordura. E que mediante uma pequena incisão na pele, permite a penetração de uma cânula de metal com orifício que secciona a gordura. A cicatriz é quase imperceptível e a recuperação é rápida. Para as áreas pequenas a serem aspiradas, o uso da anestesia local está indicado e a operação é ambulatorial. Em áreas de maior volume, a anestesia geral ou bloqueio são indicados. Em geral, de 12h às 24h de hospitalização é suficiente. Uma cinta elástica ou curativo compressivo protege as regiões operadas. Em alguns casos, pode-se usar a gordura aspirada para tratar problemas de depressão tecidual em outras áreas com resultados variáveis. A lipoaspiração não é empregada para casos de obesidade dependendo do número de regiões a serem atingidas e o volume de gordura aspirado. Em alguns casos pode ser indicada a realização de um ou mais evento cirúrgico.


CONSIDERAÇÕES

Em determinadas regiões do corpo, principalmente nas coxas, nádegas e flancos, as células gordurosas são de maior tamanho e mais resistentes a redução de suas dimensões. Facilmente aumentam de volume quando os pacientes engordam e respondem de modo diferente das demais células gordurosas do corpo. O número de células gordurosas do corpo humano é determinado na infância, e o aparecimento dos hormônios, determinam o aumento de volume das células adiposas de maneira mais intensa em algumas regiões do corpo. As áreas mais predispostas a este acumulo são: culotes, coxas, abdômen, flancos, nádegas e joelhos. Estes depósitos de gordura podem estar ligados, a fatores hormonais e genéticos. Muitos pacientes podem fazer dietas intensas de emagrecimento, exercícios, massagens ou fisioterapia drástica, que estes depósitos pouco dissolvem. É importante lembrar que estes depósitos de gorduras tornam-se mais evidentes nas pessoas de distribuição "ginecóide". São volumosas da cintura para baixo, e magras para cima. Quando fazem dieta e perdem peso, ficam efetivamente mais magras, porém a desproporção não se altera.


DURAÇÃO CIRÚRGICA

A média de tempo varia para cada região tratada, devendo-se considerar o tempo empregado para anestesia, e não se aspirando mais de três áreas e nem mais de 5% do peso corporal.


RECUPERAÇÃO

A recuperação é bem assimilável. Logicamente, quanto maior o número de regiões operadas, maior o desconforto. Analgésicos são suficientes para diminuir este desconforto. A posição de sentar, andar, dormir é totalmente liberada. No curativo é empregado uma cinta elástica para regiões do tronco e das coxas. Durante 30 dias a paciente deve usa-la continuamente, retirando-a para higiene. Em geral, para pequenas remoções a volta às atividades de rotina se dará após 48h. Nas maiores remoções em média 04 a 06 dias.


HOSPITALIZAÇÃO

Somente pequenas regiões aspiradas, com anestesia local, podem ser do tipo ambulatorial. Quanto maior o número de regiões aspiradas, sob anestesia geral ou bloqueio, requer internação de 12h a 24h.


IDADE

Pacientes adultos jovens são melhores candidatos a este tipo de operação. É mais importante a firmeza da pele, e o volume a ser aspirado, do que a idade. Existem jovens com flacidez e volume de gordura que não permitem a lipoaspiração, e pacientes com mais de 60 anos, onde o procedimento é indicado perfeitamente.


EXERCÍCIOS

Esportes que requeiram maior atividade muscular poderão ser liberados após 03 meses, ou conforme a evolução pós-operatória. Andar alguns quilômetros diários, após duas semanas de acordo com liberação médica.


VOLTA AO SOL

Após as equimoses e o edema cederem. Em geral, após a 8ª semana.


DIETA

Salvo excessos avaliados previamente, pacientes acima do seu peso preconizado como normal podem ser operadas sem dieta previa de emagrecimento. Após a cirurgia, a dieta deve ser hiperproteica.


RESULTADOS

É permanente, entretanto, se houver aumento exagerado de peso a área operada também vai aumentar, porem, menos do que as demais. Aumentos discretos de peso quase não apresentam aumento nas áreas aspiradas. Devido á elasticidade natural, a pele retrai sobre a área que foi aspirada. Existem limites de retração de acordo com a região do corpo, volume aspirado, flacidez e a idade. Estes fatores limitam a qualidade dos resultados. Equimose (manchas de sangue na pele), edema, endurecimento, hipersensibilidade, sensação local de frio, formigamento, dormência, são reações naturais que podem ocorrer. São temporárias e devem desaparecer. Massagens, ultra-som, ou qualquer outro tratamento local, fica à critério médico. * Recomenda-se no pós-operatório, a realização de drenagem linfática, que propiciará uma melhor evolução pós-cirúrgica. Claro está que para evitar problemas de ondulação por falta de retração da pele, não se deve retirar gordura em excesso, é melhor indicado repetir uma segunda intervenção. Riscos existem, porém devem ser calculados e solucionados a contento. Os retoques em virtude de intercorrências e outros problemas não serão cobrados pela equipe médica por um período de até 12 meses, ficando porém as despesas hospitalares e laboratoriais de responsabilidade do paciente. Intervenções após este período serão cobradas como de rotina pela equipe médica.


FUMO E MEDICAMENTOS

Pacientes fumantes devem suspender esse hábito pelo menos 30 dias antes e depois da cirurgia, pois o fumo prejudica a circulação e dificulta a cicatrização, levando à formação de necrose de pele. O uso de aspirina, fórmulas ou medicamentos para eliminar o apetite, e de alguns tipos de antiinflamatórios deve também ser suspenso pelo menos 30 dias antes da cirurgia, por causarem aumento de sangramento. Recomenda-se no pós-operatório, a realização de drenagem linfática, que propiciará uma melhor evolução pós-cirúrgica.



Voltar

Caio Pereira Neto - Av. Santos Dumont, 263 - Aflitos, Recife - PE.
Fone/Fax : (81) 3241.3333

Website desenvolvido pela Unu Soluções